Uncategorized

Bem-Vindos de Volta! Parte 2


Nós dois já haviamos ido a nossa médica antes e conversado sobre o fato que no ano de 2017, provavelmente, iriamos tentar ter filhos. Durante nossa conversa ela disse que como eu já tomava remédio a mais de 3 anos e meio, seria bem provável que demoraria até eu poder engravidar. Provavelmente, demoraria entre 6 mêses à um ano e como nós dois não estávamos com muita pressa, não nos preocupamos muito.

No natal de 2016, Alan e eu começamos a conversar sobre aumentar nossa família e os motivos e por que de ainda não termos filhos. A perda da Fioninha foi um fator muito importante para a nossa decisão e eu sei que algumas pessoas podem achar isso uma motivo idiota, porém, para nós dois não foi.

Em dezembro começamos nossas tentativas de engravidar.

Em janeiro, quando minha menstruação estava para vir, começamos a ficar ansiosos. Como eu tinha parado o remédio, eu estava em dúvida do dia certo que ela viria, marquei no calendário entre dia 19 e 26 de janeiro. Porém, no dia 22, em um domingo, Alan disse que eu estava diferente.

Tenho que confessar, durante minha TPM eu não sou nada legal (lol) parece que um monstro que estava dormindo se desperta e eu fico insuportável (lol) e meu pobre marido que tem que aguentar a barra. Ele disse que eu deveria fazer um teste de gravidez porque eu não estava tão chata como eu sempre fico (hahaha). Em defesa dele, ele tentou traduzir o que estava na mente dele e não se saiu muito bem, e eu não culpo ele não, eu fico chata mesmo (hahaha).

Ele insistiu para que eu fisesse um teste mas eu não queria, bati o pé e disse que eu não estava gravida, que eu conhecia meu corpo e era impossível já estar tão cedo. O bichinho ficou com uma carinha de tristeza que resolvi fazer só para provar que eu estava certa (lol).

Tinhamos um teste de gravidez guardado aqui em casa há anos, e ele já estava até vencido. Resolvi usar ele mesmo, mas lemos na internet que testes vencidos podem dar um falso-posivito. Fiz o teste, deu posivito. Corremos na farmacia e compramos uma caixinha com mais dois testes. Chegando em casa, corri para fazer mais um. Deu positivo também. Fiz o outro da caixinha, ele também deu posivito. Falei pro Alan: “Não tá certo esse trem não! Pode ir na farmacia comprar outro!” O bichinho foi na farmácia e comprou outra caixinha com 2. E adivinha? Os dois deram positivo, claro! Todos os cinco testes deram positivo!

Alan estava explodindo de emoção! Uma luz iluminou o sorriso dele como nunca tinha visto antes e aquilo só me fez ficar ainda mais apaixonada por ele. Eu? Eu estava totalmente sem reação. Minha mente não estava conseguindo processar aquela informação! A médica não disse que demoraria quase um ano? Como era possivel eu estar gravida? Como eu iria cuidar de um filho? Eu não sei ser mãe! Eu não sei cuidar de um bebêzinho! Alan nasceu para ser pai, eu ainda tinha que aprender a ser mãe! E que Deus abençoasse para que o bebê nascesse com saúde.

Isso e muito mais passou em minha mente em menos de um milésimo de segundo. Depois do choque, comecei a chorar desesperadamente (lol). Um misto de felicidade pura e medo tomou conta de mim e tudo que Alan e eu fizemos foi nos abraçar a agradecer a Deus por aquele milagre.

Esses ultimos 5 mêses tem sido os mais incríveis da minha vida! O primeiro ultrassom, o primeiro chute, a primeira roupinha, meu corpo e minha mente mudando… Tudo está diferente, e eu não poderia estar mais feliz. Carinhosamente chamado de Parasitazinho (lol) Liam é o milagre que fez com que nossa felicidade ficasse ainda maior. Estou aprendendo tanto e ainda tem muito mais para aprender, eu sei. E sou grata por cada um desses detalhes que vem acontecendo.

Mal posso esperar para poder pegar ele nos meus braços e ver o seu rostinho! Deus nos concedeu esse milagre e tudo que faço é agradece-Lo por confiar a nós dois um de seus filhos.